Se isto não coisar clique aqui e assim. Olhe que não, shô Doutor! Olhe que não...: "Sim, ‘tá bem, mas você é preto..." <body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6653557\x26blogName\x3dOlhe+que+n%C3%A3o,+sh%C3%B4+Doutor!+Olhe+que+n%C3%A3...\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://olhequenao.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://olhequenao.blogspot.com/\x26vt\x3d-538406010109702714', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Olhe que não, shô Doutor! Olhe que não...

Verdades absolutas sobre basicamente tudo.
All great truths begin as blasphemies.
Nem mais. Porra. 

2 de junho de 2006

"Sim, ‘tá bem, mas você é preto..."

Reportagem televisiva. Entrevistas de rua à chegada da selecção ao Luxemburgo. Entre algumas dezenas de pessoas, um indivíduo, o único PALOP assim mais pardo na pequena turba de entusiastas, sorridente por ter sido positivamente discriminado e estar a falar para uma câmara de TV, diz qualquer coisa como: “Gosto da equipa de Portugal. Eu sou guineense, mas vim aqui apoiar Portugal.” O jornalista, naquele tom de voz absurdamente paternalista, como aliás é habitual na maior parte das entrevistas de rua, atira: “Ah, não veio aqui agoirar Portugal para Angola ganhar no Mundial…”. O indivíduo pardo d'ainda agorinha mesmo resiste: “Eu sou guineense… pois, e vim aqui ver Portugal…”.

Entrevistar emigrantes chega a ser uma arte. E não é Noé Monteiro quem quer. É Noé Monteiro quem pode.


Enviar um comentário

© J. Salinas 2005 - Powered by Blogger and Blogger Templates