Se isto não coisar clique aqui e assim. Olhe que não, shô Doutor! Olhe que não...: Telhados de vidro <body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d6653557\x26blogName\x3dOlhe+que+n%C3%A3o,+sh%C3%B4+Doutor!+Olhe+que+n%C3%A3...\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://olhequenao.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://olhequenao.blogspot.com/\x26vt\x3d-538406010109702714', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
Olhe que não, shô Doutor! Olhe que não...

Verdades absolutas sobre basicamente tudo.
All great truths begin as blasphemies.
Nem mais. Porra. 

21 de dezembro de 2006

Telhados de vidro














Os homossexuais não gostam de estereótipos. Estão fartos dessas generalizações medievais e da homofobia que ainda grassa nas sociedades industriais, pós-industriais, modernas, pós-modernas, ou, como eu gosto de lhes chamar, “sociedades d’agora”. Toda a gente tem direito à indignação e ao protesto. Só lhes é, ou deve ser, exigida coerência nas reivindicações. E, se não querem ser alvo de estereótipos, não façam de outros alvo dessas imposições. Portanto, a próxima vez que virem um homossexual a queixar-se disso, peçam-lhe para desenhar um pirata. Se, no resultado do desafio, não estiver lá pelo menos uma de cinco características – lenço na cabeça, gancho em vez de mão, pala no olho, perna de pau e papagaio no ombro –, acho que sim, que devíamos mesmo parar com os estereótipos que circundam a espécie rabeta. Enquanto isso não sucede, é ir abusando. Que eles fazem o mesmo. Pelo menos com os piratas. Malta velhaca, a paneleiragem, hã?


Anonymous Yoyo said...

Contra ti falas!!!  


Blogger João said...

"Contra ti falas"!? Não me digam que o Pedro também é pirata!  


Blogger medusasss said...

Epah? Onde foste encontrar este palimpsesto? Há anos que não eram encontrados textos tão retrogados, produções originais do séc. XVIII! Muitos parabéns ao esforçado arqueólogo descobridor de mais um texto sobre a mentalidade vigente numa época que não a nossa.  


Anonymous Anónimo said...

estamos numa socirdade gay como hetero sinto-me discriminado....deixem-se de hipocrisias  


Blogger Bla said...

ahahahahah  


Anonymous O Mariachi said...

Vamos la ver... uma coisa não percebo! Um gajo tem de dizer sim a tudo senão leva na cabeça? Então... não gostas de paneleiros... eu tambem não! Somos retrogrados? Somos (como diz ali aquela que tranformava tudo em pedra) do Séc. XVIII? Não (!) não gostamos e pronto! E que tem dizer mal?
Esta mania das perseguições deixa-me mesmo chateado. E eu chateado até fico mais feio, não... não sou bonito... mas fico mais feio, pronto!
É como as histórias de racismo. Não, não sou racista. Mas que culpa tenho eu de gostar mais das pretas que dos pretos? (sim! Pretos... que mal tem dizer pretos? eles tambem não dizem brancos? ou temos de dizer "pessoas de cor"? bahhhh... nunca entendi isso)
Bom... mas voltando ao assunto:
Se um preto for espancado numa esquadra da policia, é "racismo" e mais umas coisas que se consiga arranjar terminados no mesmo sufixo. Mas, se por contrário for um branco que tivesse essa feliz sorte, a coisa já teria outros adjectivos como "violencia policial" ou coisa do genero!
Bahhhh... minorias! ninguem as entende!!!!

Parabens pelo blog  


Anonymous Anónimo said...

Perante um texto destes não há comentário possível. Ajoelho-me e agradeço, apenas!

Jorge Castro  


Enviar um comentário

© J. Salinas 2005 - Powered by Blogger and Blogger Templates